Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Marinho Pinto e o seu PDR

por The Next Prime Minister, em 01.12.14

A Lenda Del Rei Dom Sebastião

Aí está o novo Dom Sebastião....

 

Entrou do nada no ecrã das pessoas, a calar a Sr. Manuela Moura Guedes, (Foi bem giro), vai fazendo um discurso de contra tudo e contra todos, faz-me lembrar o tempo de inicio do BE eram a favor de tudo o que o Governo era contra e contra tudo o que o governo era a favor.

Mais um palhaço que aí anda a comer do bolso de todos, que diz agora que o salário de deputado em Portugal é baixo (agora com o novo partido quer um bom pé de meia, deve-lhe dar jeito ser deputado a part-time na assembleia e advogado a tempo-inteiro, quando acabar as férias em Bruxelas), concordo com ele que o Salário é baixo, mas como já referi noutro post, as ajudas, despesas, todas que por ali andam no meio do hemiciclo, são bastante boas e bem pagas para que o que uns tipos que passam o dia a dormir e a ler o jornal (FOI ME DITO POR UM DEPUTADO AMIGO) enquanto uns vão falando e ofendendo-se... Resumindo e indo de acordo com o corte de deputados, tenho em minha ideia que actualmente há 2 tipos de deputados...

 

Os porta-vozes mentirosos:

  • 6 jovens se não me engano, um por cada partido com assento parlamentar

 

E os "Muito Bem"/"Buhhhhh"

  • 224 rapazes, que quando o seu porta voz fala dizem "Muito bemmmmmmmmmmm" e quando fala o porta voz de outro partido dizem "Buhhhhhhhhhhh".

 

Voltando ao Sr. Marinho, que deve pensar que o Salário de Bruxelas era bom, mas para ter em Portugal, veio novamente a público e agora com o seu novo partido:

 

«Grande parte da sociedade portuguesa afastou-se da democracia, das eleições, do debate político, perdeu o interesse na própria política. Mais de metade dos eleitores já não vota nas eleições legislativas, mais de dois terços dos eleitores já não votaram nas eleições europeias. Nós queremos trazer essas pessoas para a democracia, porque é na democracia que se resolvem os problemas colectivos, é na democracia, no respeito pela liberdade, que se resolvem os problemas do País e do povo português» 

Afastaram-se e devem afastar-se mais, para que os senhores políticos percebam que algo não está bem, cada vez mais os eleitores têm noção que são todos uma cambada de mentirosos, incluindo os que chegam agora e são contra tudo.



«Nós dizemos aos portugueses que se estiverem satisfeitos com atuação do PS ou do PSD ou do CDS nos últimos 30 ou 40 anos continuem a votar nesses partidos. Nós dirigimo-nos àqueles que deixaram de votar, que desacreditaram da política porque a política não conquistou a confiança das pessoas»

Os que gostam vão continuar a votar e aqueles que são do PSD / PS como sou do Benfica também vão continuar a votar, mas os outros porque hão de votar em si? Porque enxovalhou a Manuela Moura Guedes? Porque diz que vai travar o carreirismo na política? Mas afinal senhor Marinho o que o seu partido promete? E fale para leigos, por favor, não seja como todos que falam muito bonito e ninguém percebe nada....

 


«O deputado eleito olha à sua carreira política e não aos interesses do povo a quem prometeu tudo e o seu contrário na campanha eleitoral. E aqui é que está um dos graves problemas da nossa democracia»

Verdade, concordo a 100%


«Isso é para o Dr. António Costa [secretário-geral do PS] e grupelhos esquerdistas, sequiosos de arranjar algum lugar. Não fazemos coligações pré-eleitorais. Depois [das eleições], estamos abertos a soluções democráticas para o país e aí não excluiremos ninguém desses debates»

Então o senhor Costa é um vendido, mas depois das eleições se der jeito ao Sr. Marinho ele já é o Cristiano Ronaldo da política? Quer ser o novo CDS e virar para onde conseguir poleiro? Ao menos o Sr. Portas, e como disse a sua mãe Helena de Sacadura Cabral (Senhora que muito prezo), "O Paulinho sempre soube ser segundo", o senhor Marinho sabe ser segundo ou terceiro?

 

Deixe-se de arrogâncias, deixe-se de enganar o povo e vá trabalhar.... Se é contra o carreirismo na política, não se junte à sua carreira política. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:08


Orçamento Assembleia da República - 2015

por The Next Prime Minister, em 28.11.14

Casa de Sono

 

Bem!

Já todos sabem, que ser deputado é uma profissão desgastante que ao final de oito anos nos faz estar tão desgastados, mas tão desgastados que temos que nos reformar. Deixar de trabalhar não é preciso, mas uma boa reforma dá sempre jeito.

 

Dando uma vista de olhos pelo Orçamento para 2015, não vou estar a fazer comparações com anteriores, pois isto é a primeira versão e durante o ano deverá ter umas 20 adendas, vejamos alguns dos pontos.

 

Vencimentos Deputados:

+/- 10,5 milhões de euros = 3500 euros por 14 meses do ano e 230 deputados (Valor Médio)

 

Outros Vencimentos. (Tudo o que nao seja deputado)

+/- 15 milhões de euros

 

Ao contrario de muitos, o vencimento dos deputados não me parece nada por ai além, alguns devem receber menos do que receberiam no privado, mas também os há que sejam deputados a Part-Time, assim existem os que recebem mais e outros que recebem menos.

Qual o problema? Para que servem 230 políticos profissionais sentados numa palácio? Nada!

Para o que fazem hoje em dia, seria mais fácil vender o Palácio ao Grupo Pestana e comprar um pequeno escritório onde cada partido metesse o seu deputado, tendo o seu voto a percentagem obtida nas legislativa pelo seu partido. Os resultados finais seriam idênticos aos do nosso parlamento hoje em dia, mantinhamos a eficácia mas melhorávamos a eficiência. 

 

Não sendo radical, eu PROMETO:

 

Existem 18 distritos e 2 regiões autónomas.

 

Redução para metade do numero de deputados, seguindo a seguinte estrutura:

            84 Deputados – 4 por cada distrito, Região Autónoma e Estrangeiro

            31 Deputados – Circuito Eleitoral Único – baseados nos votos a nível nacional

 

 

 

Continuando no orçamento:

 

Despesas de Representação

  • 1,2 milhões de euros

 

Ajudas de Custo Deputados (Excluindo Alojamento e Viagens)

  • 3 milhões de euros (13 mil euros anos por cada deputado)

 

Transporte Deputados

  • 3,5 Milhões de euros

 

Deslocações e Estadas

  • Viagens – 832 mil euros
  • Estadas – 580 mil euros

 

Outras coisas engraçadas:

  • Vestuário e Artigos Pessoais – 125 mil euros
  • Consumíveis de Informática – 196 mil euros
  • Equipamento Informático – 800 mil euros
  • Software informático – 498 mil euros
  • Comunicações – 343 mil euros
  • Electricidade - 712 mil euros
  • Limpeza e Higiene 770 mil euros

A pouca vergonha está disponível neste link:

 Orçamento 2015 Assembleia da República

 

Quero também salientar outros três pontos:

  • Subvenções aos Partidos e Forças Políticas representados – 14,5 milhões
  • Subvenções aos Partidos e Forças Políticas NÃO representados – 342 mil
  • Subvenção estatal p/campanhas eleitorais - FORÇAS POLÍTICAS – 7,4 milhões

 

Ao todo, são mais 5 milhões de euros que o orçamento de 2014. Ai e Tal, mas 2013 eram 140 milhões.

Em 2013 só 55 milhões foram para as eleições autárquicas e europeias. Ou seja, 2013 (95 milhões), 2014 (100 milhões) e 2015 (105 milhões), valores bem acima da inflação do nosso pais e da percentagem de aumento de ordenados.

Como já referi noutro post o financiamento publico aos partidos não pode ser feito desta forma, os milhões que todos os anos se gastam para alimentar estas maquinas partidárias que transformam a nossas suposta democracia numa ditadura partidária são exuberantes e legalizados por eles.

Quem aprova este dinheiro todo a deputados partidos e afins?

A Assembleia da República Portuguesa

 

Como é possível gastar num ano 1,5 milhões de euros em informática? Compraram Apples para toda a gente? 230 * 2000 euros = 460 mil euros, ainda faltam explicar os 240 mil euros em falta para compra de equipamento deve ter sido para os mouses, trackpads e afins.

343 mil euros em comunicações, nunca ouviram falar no moche e afins?

800 mil euros em electricidade, porque não gastam alguns trocos para uma campanha interna para diminuir o consumo?

 

Os deputados, repito sem terem um vencimento nada por ai, têm vida de lorde com todos os benefícios, ajudas e sei lá mais o que é que ganham....

 

PROMETO,

 

Diminuir a breve prazo o orçamento a 30%

  • Cortes de pessoal desnecessário,
    • Deputados / Assistentes / Assistentes de Assistentes / Sub Motoristas e afins,
  • Cortes ajudas partidárias e eleitorais, etc, etc

 

A médio prazo diminuir para 50%

  • Diminuir mais os custos com reduções de outro pessoal desnecessário,
  • Veto em aquisições de materiais e bens desnecessários,
  • Política dos 3 Rs – Reduzir, Reutilizar, Reciclar.
    • Esta política ira ser também aplicada a todos os deputados e seus amigos.
      • Reduzidos a 50%
      • Reutilizados (Não há ca benesses de reformas antecipadas, queres te reformar trabalhas ate aos 80 com os outros)
      • Reciclados (Os amiguinhos vão todos para a fornalha para reciclar e fazer uns políticos novos à maneira)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:17


Partidos e o Financiamento

por The Next Prime Minister, em 28.11.14

O dinheiro que mete nas urnas

O meu primeiro post é sobre algo que me faz imensa confusão e que me dediquei a perder alguns bons minutos na internet para perceber – O FINANCIAMENTO PARTIDÁRIO.

 

Factos (Corrijam-me se tiver enganado)

  • Por cada voto, cada partido recebe 1/135 do valor do salário mínimo anualmente durante os 4 anos da legislatura. (505/135 = 3,74 euros)
  • São também pagos valores por deputado, 4 vezes o salário mínimo anual mais metade desse valor a ser pago mensalmente.
    (4*14*505=28280) + (12*(28280/2)=169.680)
  • Cada partido pode receber donativos de particulares até 25 vezes o valor anual do salário mínimo. (25*14*505)=176.750 (e não existe corrupção nenhuma!) 
  • Não estão sujeitos a IRC

Parlamento - Financiamento Partidário

 

 

É tudo muito bonito, mas quem paga somos nós ou quem gosta muito deles e dona milhares de euros sem nada em troca.

 

Têm também outros benefícios como a reforma antecipada por serem profissões cansativas ou tempo pago pelos portugueses (15 dias) para fazerem campanha eleitoral.

 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

O que eu faria se fosse eleito é simples, “nacionalizava os partidos”

  • Acabavam-se os donativos os pagamentos particulares ou do governo.
  • As campanhas seriam iguais para todos e realizadas nos seguintes moldes
    • Direito de antena na televisão (a RTP2 seria muito boa para os partidos exporem as suas opiniões)
    • Rádio
    • Jornais

Tudo com proporções iguais. Acabavam-se os cartazes, as ofertas de canetas, as publicidades na TV, jornais, etc, etc.

 

Todos os partidos teriam os mesmo direitos de antena e espaço publicitário, não se faria descriminação, como se fez ao pobre Garcia Pereira, quando todos os candidatos a presidente da república foram convidados para programas televisivos, com excepção do pobre coitado.

 

Acabavam-se as sedes de cada partido, cada município e a capital teriam instalações do estado para que os partidos se reunissem e tratassem e falassem do que lhes desse na cabeça, tudo centralizado e sem levantar duvidas sobre aspectos legais.

 

Resumindo,

  • Os gastos dos partidos seriam todos pagos pelo estado, mas também controlados pelo estado, não haveria azos a donativos legais mas duvidosos
  • Aumentava-se a productividade do país, eliminando a campanha eleitoral porta a porta e feira a feirta
  • Todos os partidos teriam as mesmas possibilidades e capacidades para fazer campanhas eleitorais nos mesmos moldes (querem algo mais democrático?)
  • Os belos edifícios dos partidos seriam rentabilizados e ajudariam a pagar os custos públicos com os partidos, etc, etc, etc

 

Acredito que seja uma medida radical, mas não vejo outra maneira de mudar a nossa classe política, que está como o pais. Os mais ricos melhores e os mais pobre pior.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:39


Quem sou e porque evitei filas....

por The Next Prime Minister, em 28.11.14

 

 

Horas e Horas

Noite de quarta-feira, acabado de jantar e dou por mim a pensar que raio se passa no rectângulo.... Sim, sou mais um dos que baixou a taxa de desemprego em Portugal, não por ter arranjado emprego, mas por me ter pisgado. Enfim, tem que se fazer pela vida.

 

O trabalho começou a escassear, na empresa mesmo nunca falhando os pagamentos, começou-se a falar da falta de trabalho, apesar de jovem, corta-se trabalho a subempreiteiros, colegas sāo despedidos, e começo a ver....O Próximo sou eu....

Tive sorte, um chefe antigo, emigrado hà algum tempo, chamou-me. Apesar de mais, o dinheiro não era nada por ai além, progressão profissional? A posição a exercer seria mais ou menos a mesma coisa...Não pensei duas vezes, mais dia menos dia ia acampar para o centro de emprego. Assim, cheguei a casa e disse à patroa:

Faz as malas que vamos passear uns anos pelo estrangeiro.

 

Política? Gosto. Políticos? Mais uns chupistas.... Cotas? Só pago para o Benfica. Tenho amigos que já me tentaram chamar para a esquerda, direita e centro, mas sempre mantive a posição de amigos, amigos, politicas e políticos a parte. Não é que não goste, mas nao me revejo em qualquer classe política na sua totalidade, posso ser por vezes um pouco PS, outras um PSD, dias em que sou CDS e outros em que dou para o PCP ou BE, mas grande parte do tempo sou abstencionista com orgulho, digo já que para mim Votar é direito e não dever, vota quem quer, não vota quem não quer...Simples.

 

Voltando ao inicio, resolvi entrar na blogosfera (sou virgem no assunto) pois acompanho o dia a dia do nosso rectângulo e faz-me espécime o que se passa por ai, faz-me confusão ver uma cambada de chupistas, a sucar tudo e todos e o resto, mais conhecido por Zé Povinho, a ver e a deixar ver... não incito a violência, mas somos um povo muito brando, um murro bem dado em cada deputado não se perdia, podia não ser solução, mas dava satisfação.

 

Chega de apresentações, apesar de me apresentar anonimamente (vivemos numa democracia onde são suspensos trabalhadores por dizerem piadas do primeiro-ministro ou são presos/multados cidadãos que mandam o presidente da república ir trabalhar), vou escrever o que penso (não deve tardar até o SIS saber quem sou) e o que Prometeria (com P grande de PROMETER) se me candidatasse a primeiro-ministro (não o posso porque não tenho partido, só se formar um) .

 

A CAMPANHA ENCONTRA-SE ABERTA

(Opinem, comentem, só não aceito faltas de respeito ao Próximo Primeiro Ministro ou a qualquer comentador)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:44



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Dezembro 2014

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031



Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D